• Eu Ensino

Roteiro para estruturar uma videoaula

Baixe aqui um roteiro para te ajudar na sua próxima aula em vídeo!


E de repente tudo mudou. Nas últimas semanas, vivemos situações que nunca teríamos imaginado. A forma como as pessoas se relacionam, tanto pessoalmente, quanto profissionalmente, teve que ser ajustado às novas regras do distanciamento social. Reuniões profissionais, aniversários de amigos, almoços de família - tudo teve que migrar para o virtual, usando ferramentas como Hangouts e Zoom. Até o almoço de Páscoa teve que se adequar! E em meio a tantos ajustes, a educação também se viu forçada a mudar. Há algumas semanas, escolas municipais, estaduais e particulares foram fechadas com o objetivo de ajudar na contenção do contágio do novo coronavírus. A partir deste momento, educadores de todo o Brasil (e ao redor do mundo) se viram com a missão de serem criativos e fazer do limão uma limonada. Afinal, a Educação não pode parar! Em meio a discussões sobre acesso dos alunos ao ensino à distância e a qualidade deste novo formato, muitas foram as soluções encontradas, ainda que não ideais nesses dois pontos. Professores de municípios menores conseguiram manter o fluxo das lições usando a criatividade, como a professora mineira, que passou a pendurar sacolas com as atividades aos estudantes no portão da sua casa, para serem buscadas pelos pais. Em municípios maiores, essa solução não seria possível, mas graças à tecnologia, muitas escolas foram capazes de adaptar suas aulas para o ensino à distância, oferecendo seus conteúdos para os alunos em casa. Na semana passada, compartilhamos a página do Google voltado especialmente para o Ensino em Casa, que busca apoiar professores nessa empreitada. No final de março, lançamos uma pesquisa para mapear os principais desafios dos educadores nesse momento (inclusive, se você ainda não participou, corre lá porque ainda estamos recebendo respostas!). O que coletamos de percepções até agora é que ainda existe muita dúvida sobre o como ensinar. Ainda que os professores estejam se aventurando no ensino online, aprendendo a gravar, editar e compartilhar vídeos, pensando em atividades criativas e tentando manter os alunos engajados, muitos ainda caem na armadilha de que ensinar por vídeo é igual a ensinar dentro de uma sala. E por isso achamos importante escrever esse artigo! Nós, da Eu Ensino, desenvolvemos uma metodologia de ensino da nossa trilha formativa que vai do online para o offline. Nos especializamos em desenvolver materiais que sejam simples, objetivos e acolhedores nas telas, mas que se transpõem para atividades práticas que instigam, engajam e fazem nossos alunos refletirem sobre seus aprendizados. Claro que, no nosso caso, os nossos alunos são vocês, educadores! Mas pensamos que, já que desenvolvemos essa metodologia, isso poderia ser útil para vocês também. ;) Desenvolvemos um roteiro simples de como estruturar seus vídeos, em que vocês vão explicar conteúdos para serem aplicados com seus alunos. Não vamos tratar dos conteúdos em si - isso é com vocês! - mas trazemos um passo a passo do que deve ser dito e em qual ordem. O roteiro está aqui e, para editar, incluir seus conteúdos e deixar com a sua cara, é só salvar como uma cópia e escrever lá o que você pretende dizer.

Algumas dicas:

  • Os vídeos devem ser muito curtos. Hoje em dia, não temos mais paciência para nada, então não adianta ser um monólogo que seus alunos vão perder o foco. Mantenha cada vídeo com 5 minutos ou menos, com preferência para algo entre 3 e 4 minutos.

  • A linguagem precisa ser bastante objetiva e clara. Nesse sentido, prefira orações coordenadas a orações subordinadas. Se perdeu o fôlego é porque está muito longo!

  • Não vire outra pessoa! Não é porque você está na frente de uma câmera que você precisa ser diferente de como você é. Não precisa ser mais formal, parecendo um robô, nem mais informal, parecendo que você está se esforçando demais. Respire fundo, relaxe e fale como você normalmente falaria com seus alunos.

  • Além da linguagem, o conteúdo precisa ser objetivo. Escolha um tópico (que pode ser tratado em 5 minutos) e fale apenas dele. Não adianta querer expandir muito o assunto que isso faz o vídeo ficar confuso. Se precisar, quebre os tópicos em conteúdos menores e faça mais de um vídeo.

  • Proponha uma atividade prática ao final do vídeo, que faça sentido com tudo o que você acabou de explicar. A criatividade será sua maior aliada nesse momento, então é a sua hora de brilhar (ou trocar ideias com outros educadores mais criativos rs). Já que os alunos vão interagir menos com você e com os colegas, precisamos criar momentos de aprendizado que os instiguem a ir além. Isso é fundamental!

Lembrando que as dicas e o roteiro são para uma aula gravada e não ao vivo. Se for ao vivo, a forma de abordar os assuntos vai ser diferente. Quem sabe a gente compartilha isso também daqui uns dias, então fique de olho. ;) Esperamos que o que trouxemos ajude! Depois, não se esqueça de colocar aqui seus comentários de como foi a experiência e o que você ensinou na sua aula. Boa prática!


EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

  • Twitter
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon