Pensamento computacional por meio da programação

Atualizado: Jan 28

Como a programação pode auxiliar na aprendizagem?


O computador está cada vez mais presente em nosso cotidiano e, além de aprender a utilizá-lo, muitos estudos apontam para a importância da programação e os benefícios que ele traz ao processo de aprendizagem dos nossos estudantes.


O Pensamento Computacional (PC) é a capacidade de transformar um problema que não se sabe como resolver, em um que se sabe. Pode-se fazer isso usando várias técnicas, como a redução ou a simulação. Sendo assim, essa metodologia é englobada nas competências gerais número 2 (Pensamento Científico, Crítico e Criativo) e 5 (Cultura Digital) da BNCC.


O PC não influencia apenas em áreas relacionadas à tecnologia, mas sim em todas as áreas do conhecimento onde se faz necessária a solução de problemas. Ele favorece o desenvolvimento de habilidades como pensamento lógico, abstração, generalização, decomposição, entre outros. Alguns exemplos de sua aplicação são o sequenciamento do genoma (Biologia), a criação de animações (Arte) e a simulação acústica (Música).


Em várias partes do globo o PC já está sendo implementado dentro de sala de aula, e é cada vez mais comum encontrar nas escolas brasileiras aulas de robótica, programação ou algo relacionado ao pensamento computacional. No Brasil, há campeonatos e olimpíadas, como a Olimpíada Brasileira de Robótica e a Mostra Nacional de Robótica, que incentivam a interação dos nossos estudantes com esse conteúdo.


A programação é o meio mais tradicional do desenvolvimento do PC, contudo, ela deve ser vista como uma ferramenta, e não como o objetivo de aprendizagem. Ou seja, ela não deve ser aprendida por si só, mas o professor deve fazer uso dela como meio para o desenvolvimento de outras habilidades.


Para se utilizar a programação como meio, os objetivos de aprendizagem desejados devem estar bem estabelecidos, permitindo assim um trabalho intencional do professor para o desenvolvimento das habilidades desejadas. Outro detalhe que é necessário se observar são as ferramentas. Muitos dos conceitos e habilidades que se deseja exercitar com o PC podem ser desenvolvidos com atividades práticas que não estão ligadas ao computador. Elas recebem o nome de atividades desplugadas. Para isso, é de extrema importância que se conheça os estudantes que irão realizar as aulas, para se adaptar tanto os objetivos como as ferramentas que serão utilizadas.


Uma prática comum, que favorece o PC durante as aulas, é um ambiente de aprendizagem colaborativo, principalmente, na forma de atividades em duplas. A realização de práticas, onde, os estudantes devem se juntar com outro colega para realizar, discutir ou auxiliar, não importando o meio (presencial, videoconferência, mensagens de textos, entre outros), consegue aumentar o entusiasmo de todos da classe pela programação e auxilia na obtenção de projetos mais complexos em menos tempo.


Os mapas conceituais são outra ferramenta que contribuem para a fixação e aprendizagem dos estudantes, especialmente porque auxiliam na aprendizagem cognitiva, psicomotora e afetiva do estudante. Estudos também mostram que eles favorecem o aprendizado de matemática, genética, engenharia, química, física e programação.


As abordagens tradicionais como explanação do conteúdo e programação em determinada linguagem normalmente não produz o desenvolvimento desejado com relação ao PC. Isso faz com que abordagens mais dinâmicas sejam usadas para se ter melhor resultados. Exemplos de metodologias que podem ser utilizadas são a sala de aula invertida e o ensino híbrido.


Alguns estudantes apresentam dificuldades no início da aprendizagem da programação, ou devido a barreiras de linguagem, pois muitas são em inglês, ou pela dificuldade dos conceitos próprios da programação, como condicionais, laços de repetições, etc. Para isso, existe uma série de linguagens de programação que são sugeridas para iniciantes como a Logo ou o Scratch, que são mais simples de entender e são encontrados em português.


Com base no que foi dito anteriormente, pode-se concluir que a programação é uma excelente ferramenta para desenvolver habilidades e competências desejadas nos nossos estudantes, sendo que ela também já é prevista na BNCC tanto na área de linguagens como matemática e ciências da natureza. Mas e você, professor, já utilizava da programação nas suas aulas? Sabia dos benefícios do Pensamento Computacional? Comenta aqui embaixo para continuarmos conversando. Boa prática!

Referências:


Buitrago Flórez F, Casallas R, Hernández M, Reyes A, Restrepo S, Danies G. “Changing a Generation’s Way of Thinking: Teaching Computational Thinking Through Programming”. Review of Educational Research. 2017. Disponível em https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.3102/0034654317710096


83 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo