O primeiro semestre

Relatos de uma professora


Olá, professores! Hoje eu volto aqui para contar um pouco as experiências que vivi durante o meu primeiro semestre como professora. Se você ainda não leu os meus relatos de primeiro dia e primeiro mês de aula, recomendo que faça a leitura também! Passados os primeiros desafios em sala de aula, após o primeiro mês eu já sentia a necessidade de me envolver em projetos que fossem além das quatro paredes para contribuir ainda mais com o desenvolvimento dos meus alunos. Desde o início do ano letivo, eu já havia me identificado com alguns colegas que se tornaram grandes amigos e foi me juntando a eles que demos início a uma série de ações pela escola. É importante ressaltar que todas as nossas ideias eram levadas para a coordenação e/ou direção para que fossem aprovadas. Por isso, uma dica importante é buscar ganhar a confiança da gestão da sua escola desde o início e também manter sempre uma relação de cordialidade, para que as suas ideias possam ser recebidas de forma mais aberta e com maior possibilidade de serem levadas adiante, se fizerem sentido para a escola.


Registro de uma das nossas reuniões no pátio da escola. Na foto estão os professores Priscila, Valdecy e José Gabriel. A professora Ana Catarina também participava conosco, mas estava ausente nesse dia. Uma das primeiras coisas que identificamos foi a defasagem dos alunos na disciplina de Matemática. Como todos éramos professores da área de exatas (Química, Física e Matemática), sabíamos que isso impactaria diretamente no aprendizado deles em nossas disciplinas. Foi assim que surgiu o Acompanhamento Matemático, um tipo de reforço que acontecia no contraturno vespertino. Foi uma experiência incrível para mim, pois minhas aulas regulares eram com alunos de Ensino Médio e nesse projeto pude ter contato com a galerinha do 6º e 7º ano do Ensino Fundamental. Aqui eu faço um parênteses para bater palmas para os professores desse nível de ensino, pois superar toda a energia desses alunos não é fácil! Por outro lado, foi a coisa mais bonita de se ver quando eles depositavam toda essa energia nas atividades que proporcionamos!


Alunos do acompanhamento matemático engajados em uma atividade em grupo. Paralelamente a esse projeto, eu me perguntava como poderia gerar mais valor aos meus alunos de Química, através das minhas aulas. A escola não possuía laboratórios e muito menos vidrarias e reagentes para que eu pudesse unir a teoria à prática. Foi aí que eu precisei colocar a criatividade no jogo e encontrar maneiras alternativas para que eles pudessem praticar pelo menos alguns conteúdo da disciplina. Então, planejando uma aula sobre velocidade das reações químicas, eu pensei: “posso usar o que tenho em casa para fazer uma atividade prática!”. Assim, pesquisei na internet algumas ideias, reuni alguns materiais e montei um roteiro de aula prática. Foi uma atividade muito simples, mas que agregou muito para a fixação daquele conteúdo por parte dos alunos. Sem contar a quebra de rotina e a maior interação com os colegas, tornando a aula mais leve. A partir dali eu comecei a olhar para as minhas aulas e pensar em como eu poderia agregar mais a elas.

Alunas e alunos do 2º ano do EM realizando a atividade prática. Em meio a tudo isso, eu também encontrava tempo para me distrair de toda a carga de trabalho que é comum na vida de professores. Como eu possuía uma rede de professores fora da escola que também se tornaram amigos, sempre inventamos algum motivo para nos reunir e fugir da rotina. Claro que em uma reunião de professores é praticamente impossível não falar de escola e alunos, então muitas vezes essas reuniões também serviam de desabafos ou trocas de aprendizado, mas sempre eram muito ricas!


Registro meu, de um dia que me reuni com alguns amigos para fazer um trilha e ter uma vista incrível do pôr do sol, em Campo Grande - MS. O aprendizado desse primeiro semestre foi entender que os primeiros desafios de tudo o que a gente decide começar serão muito difíceis mesmo, mas o importante é simplesmente enfrentá-los. No meio do processo encontramos soluções e pessoas dispostas a segurar a nossa mão, seja em um projeto da escola, ouvindo um desabafo ou sendo companhia para momentos de distração. É importante valorizar isso sempre! Agora eu quero ouvir de você, professor(a)! Você participa de projetos extracurriculares da sua escola? Com quem você conta na sua jornada? E o que faz para se distrair nas horas vagas? Me conta aqui nos comentários!

8 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

whats t.png
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter