Implementação da BNCC: qual o papel do professor?

Pontos de atenção e materiais para ajudar você nesse processo


Na semana passada entendemos um pouco melhor sobre como a gestão escolar e as secretarias de educação podem agir para fazerem sua parte na implementação da BNCC. Você deve ter percebido que o processo já está em andamento e que, sem diálogo com os professores, nada pode ser feito!


Hoje, quero conversar justamente com esse grupo: professoras e professores. Vocês têm um papel crucial para uma boa implementação da Base. Isso porque, como todos sabemos, são vocês os que têm contato direto, intenso e diário com os alunos, que são os principais impactados pelo documento.


Entender a Base, suas propostas, mudanças de pensamento e de conteúdo é parte importante quando se fala de adequação da prática. Por isso, vamos dar algumas dicas de materiais que podem te ajudar nessa missão.


1. Para conhecer a Base


Claro que, se possível, o ideal é que você leia todo o documento e faça uma análise crítica do seu conteúdo. Mas, se você trabalha com o Ensino Médio e quer entender melhor como funciona a Base para essa etapa, pode conferir a Base Comentada para o Ensino Médio do Instituto Reúna! Dividida por área do conhecimento e organizada de forma dinâmica, esse material com certeza é a resposta para a sua busca por maior conhecimento sobre os princípios trazidos pela BNCC para essa etapa.


Já se você trabalha com o Ensino Fundamental, você tem que conhecer os Mapas de Foco, também do Reúna. Com explicações e priorizações, eles com certeza serão de grande ajuda na hora de preparar a sequência didática e os planos de aula para sua turma.


Tenha em mente que esse é um aprendizado contínuo! Ele, preferencialmente, deve ser feito em constante troca com outros educadores. Lembre-se também que, apenas quando atrelado à prática, você conseguirá de fato se apropriar dele!


2. Para entender o princípio da educação integral


Um dos principais objetivos da BNCC, que inclusive é o responsável por tanta repercussão em torno dela, é o de trazer a educação integral para todos os alunos. Com ela, será possível preparar as crianças, adolescentes e jovens para mais do que responder questões e ter conhecimento intelectual. Pretende-se que sejam também cidadãos conscientes de seus deveres, direitos, sentimentos e emoções, ao mesmo tempo que interagem com responsabilidade com relação a outros indivíduos.


O Movimento pela Base, em seu documento Caminhos para a Educação Integral, afirma que “Se bem conduzida, a implementação da educação integral, conforme determina a BNCC, pode ser um passo significativo para uma formação plena e equânime de todos os estudantes brasileiros nos diferentes territórios.


Esse, inclusive, é um material muito rico e significativo. Lendo-o, você com certeza conseguirá tirar dúvidas sobre o tema e entender melhor sua posição com relação à implementação da Base. Ele está organizado de modo a ajudar você a compreender o que pode fazer em vários âmbitos: com relação às políticas públicas, à escola, a outros professores e a si mesmo, aos estudantes e ao território (contexto em que os alunos estão inseridos).


3. Sobre o PPP e a formação continuada


O Projeto Político-Pedagógico e a formação são tópicos geralmente focados na gestão escolar. De fato, ela tem um papel central na organização deste documento e no oferecimento de formações, mas o professor é (ou deve ser) um dos protagonistas deste processo!


No Guia de Orientações para Professores sobre a BNCC, organizado pela Fundação Lemann em conjunto com o Movimento pela Base, algumas sugestões muito práticas são dadas a respeito dessas questões.


A BNCC incentiva a reelaboração do PPP de forma conjunta, não de modo a fazê-lo "intocável e inalterável”, mas sim de mantê-lo sempre vivo, atualizado constantemente e que case com as transformações vividas pela escola. Conversar com a gestão e conduzir esse processo democraticamente, incluindo as outras esferas da comunidade escolar (alunos, familiares, outros funcionários), são pontos cruciais.


Sobre a formação continuada, é muito comum que seu oferecimento se dê de “cima para baixo”, sem muita contribuição por parte de quem irá recebê-la. São inúmeros os problemas dessa abordagem, especialmente quando pensamos em engajamento e aproveitamento. A BNCC (e muitos teóricos!) são contrários a essa posição, e defendem a valorização do momento de troca dentro da Reunião Pedagógica Coletiva. Do mesmo modo que você deve se pronunciar sobre as formações que julga necessárias, dê também sempre devolutivas sobre as iniciativas já implementadas, assim você ajuda a coordenação no processo de adequação contínua.


Claro que a BNCC traz novas demandas que antes não existiam. Formações específicas que tratem da ambientação dos profissionais a suas novas proposições são fundamentais, e oferecidas até mesmo em âmbito nacional por meio do ProBNCC. Converse com a gestão de sua escola, apresente e discuta o texto anterior do nosso blog e, em conjunto, vocês podem começar a pensar a melhor estratégia para a sua escola investir adequadamente na formação dos seus educadores.


4. Mobilização das famílias


Esse é um tema muito em voga, especialmente depois de tudo que vivemos até hoje com a pandemia. A família é, cada vez mais, reconhecida como um ponto central na educação dos alunos. Com as mudanças trazidas pela BNCC, nada mais justo que apresentá-las aos familiares e tê-los como aliados nessa adaptação.


Mais do que isso, é importante mantê-los informados sobre o andamento da implementação, do acompanhamento das metas alcançadas e, como dissemos anteriormente, sobre as estratégias elaboradas, especialmente aquelas expressas no PPP.


Uma última dica que podemos dar pra você é: compartilhe conhecimento!


Se o artigo de hoje foi útil para você, também pode ser para outras pessoas. Se fez um curso que foi super interessante, que tal compartilhar com os educadores de sua convivência? É em conjunto que iremos mais longe!

Pensando nos desafios da implementação da BNCC, disponibilizamos de modo gratuito um acervo de pílulas de conteúdo prontas para serem usadas.


Você pode encaminhar para seus alunos seja no ensino remoto, híbrido ou presencial! Elas são de fácil acesso, podendo ser enviadas pelo Whatsapp sem o consumo de dados para baixar no celular. Que tal utilizá-las como uma forma de mobilização dos familiares?


Veja alguns exemplos de temas desenvolvidos:


Não fique de fora e aproveite!

Referências:


Nova Escola. Marlucia Brandão. "Implementação da BNCC: 5 pontos para o diretor levar em conta". Março de 2019. Disponível em: https://gestaoescolar.org.br/conteudo/2146/implementacao-da-bncc-5-pontos-para-o-diretor-levar-em-conta

61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo