Estratégias para construção de bons relacionamentos com alunos

Melhores práticas para estabelecer relacionamentos fortes com sua turma

Por Cicely Woodard


Um dia, Alyssa, uma aluna do nono ano, veio à nossa escola usando uma bandana roxa na cabeça, mesmo sabendo que o código de vestimenta da nossa escola não permite. Embora parecesse uma questão simples de conciliar, logo encontrei outro professor batendo na minha porta naquela manhã, me pedindo para dizer à Alyssa para tirar a bandana. Ele disse que não se sentia à vontade para lidar com a situação, mas sabia que eu poderia conversar com Alyssa para que ela seguisse as regras, porque ela confiava em mim.


Naquele dia, chamei Alyssa de lado e tivemos uma conversa particular sobre por que bandanas não eram permitidas na escola. Assegurei a ela que entendia por que ela queria usar uma faixa na cabeça e até ofereci a opção de usar uma diferente. Após nossa conversa, Alyssa calmamente foi ao banheiro e voltou para a aula sem a bandana.


Esse encontro aparentemente pequeno me lembrou do poder dos relacionamentos positivos nas escolas e por que os professores devem ser intencionais ao construí-los. Na sala de aula, relacionamentos positivos são a base para o sucesso do aprendizado. No entanto, como professores, às vezes deixamos de dedicar tempo para aprender sobre nossos alunos como pessoas, o que pode criar barreiras ao aprendizado e tornar até mesmo pequenas interações (ou conflitos) difíceis de lidar.


Alyssa não era uma aluna perfeita e matemática não era fácil para ela, mas ela trabalhava duro na minha aula. Ela fazia perguntas, vinha antes e depois da aula para obter ajuda adicional ou apenas para falar sobre sua vida. Ela confiou em mim porque trabalhei duro para construir um relacionamento com ela, mostrando que a respeitava e me importava com seu bem-estar.


Muitos professores sentem-se pressionados a cobrir o conteúdo e a lidar com muitas outras tarefas relacionadas ao trabalho. No entanto, descobri que investir tempo para aprender sobre os alunos, fazendo pequenas mudanças em nossa sala de aula, cria um ambiente em que eles são motivados a serem bem-sucedidos. Aqui estão seis estratégias que eu uso para construir melhores relacionamentos com meus alunos.


1. Aprenda nomes de forma rápida e correta

Muitas vezes os alunos sentem-se invisíveis nas nossas escolas. Valorize a diversidade e a identidade dos alunos aprendendo os nomes rapidamente e pronunciando-os corretamente. Use apelidos apenas se os alunos preferirem. Nunca crie um apelido para um aluno, porque isso o desvincula da identidade que está embutida em um nome. Todos os anos, no primeiro dia de aula, faço meus alunos criarem placas com seus nomes e peço que pronunciem corretamente para mim. Eu pratico pronunciar seus nomes com frequência. Pego as placas e as distribuo a cada período de aula até aprender todos os nomes dos alunos. Saúdo cada um dos meus alunos na porta pelo nome antes da aula.


2. Os alunos nunca são velhos demais para mostrar e contar algo sobre eles

Ajude o aluno a sentir que é mais do que só mais um estudante, permitindo que ele traga algo que o represente, sua cultura ou alguma atividade que goste de fazer. Planeje de cinco a 10 minutos por dia para alguns alunos compartilharem o que trouxeram até que você tenha dado a oportunidade a todos da classe. Nas minhas aulas, os alunos trouxeram fotos de quando eram bebês, óculos de proteção que usam para a equipe de natação e lembranças de férias em família. Uma vez, minha aluna Hannah trouxe seu ukulele e cantou uma música para a classe. Ela transformou esse momento em uma festa, e meus alunos adoraram cada minuto.


3. Exponha fotos e trabalhos dos alunos

Os professores do ensino infantil são muito bons em compartilhar o trabalho dos alunos, mas os professores do ensino fundamental e médio muitas vezes negligenciam essa importante prática, achando que é desnecessária para os alunos mais velhos. Descobri que os alunos mais velhos ainda precisam ser lembrados de que você valoriza o trabalho deles. Quando meus alunos participam da prática de compartilhamento que falei anteriormente, por exemplo, tiro uma foto deles. Essas fotos são impressas e postadas em um quadro de avisos na sala de aula que fica o ano todo. Os alunos adoram ver como mudaram ao longo do ano porque percebem que seu crescimento e desenvolvimento não é apenas físico, mas também intelectual e emocional. Além disso, os alunos ficam muito orgulhosos quando seu trabalho, como projetos individuais e em grupo, são exibidos e elogiados.


4. Atribua lugares e altere-os com frequência

Todos sabemos que os alunos do ensino médio nem sempre se dão bem, mas quando os alunos têm oportunidades de trabalhar juntos, eles aprendem uns sobre os outros e descobrem maneiras de colaborar, mesmo sendo diferentes. Eu atribuo os lugares onde meus alunos devem sentar na minha sala de aula de matemática do ensino médio, e eles trocam de assento uma vez por semana, usando um trocador de assento aleatório online (você pode, por exemplo, enumerar as carteiras e usar um sorteador online para descobrir a nova ordem de lugares!).


5. Encontre pequenas maneiras de se conectar

Na minha aula do primeiro horário, muitas vezes fazemos um círculo nas manhãs de segunda-feira ou depois de um intervalo. Nós ficamos em um círculo e passamos uma bola ao redor. A pessoa com a bola compartilha um elogio sobre outra pessoa no círculo, o que ela fez no fim de semana ou no intervalo, ou como está se sentindo no momento e por quê. Se eu esquecer o horário do círculo às segundas-feiras, meus alunos sempre me lembram. Eles também sempre insistem que eu compartilhe também. Embora possa parecer que cada minuto é necessário para passar pelo conteúdo acadêmico, aprendi que um investimento de cinco minutos uma vez por semana para aprender um sobre o outro é inestimável para meus alunos e constrói uma cultura melhor em minha sala de aula.


6. Simplesmente ouça

Como professores, muitas vezes sentimos que precisamos manter uma distância profissional de nossos alunos, mas descobri que reservar um tempo para conversar pode ajudar a quebrar as barreiras ao aprendizado. Porque me tornei mais acessível, alguns dos meus alunos agora me contam histórias sobre suas vidas durante os cinco minutos entre as aulas. Paro o que estou fazendo, olho nos seus olhos e escuto. Adoro ver seus olhos brilharem enquanto me contam essas histórias, e esses encontros sempre me deixam um pouco mais informada sobre quem eles são.


Todos os alunos merecem ter adultos em suas escolas que se importem com eles o suficiente para serem intencionais na construção de relacionamentos positivos que lhes deem espaço para cometer erros e aprender. Se realmente esperamos que nossos alunos aprendam conosco, eles precisam saber que nos importamos com eles. Eles também precisam de oportunidades para aprender uns sobre os outros, para que possam construir uma comunidade na qual cresçam juntos como aprendizes.

 

Referências:


Edutopia, por Cicely Woodard. “6 Strategies for Building Better Student Relationships”. Agosto de 2019. Disponível em https://www.edutopia.org/article/6-strategies-building-better-student-relationships


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo