• Laís Brandão

Escuta ativa na sala de aula

Hoje eu tirei alguns minutos da minha aula para explicar sobre um projeto novo que estou implementando na escola junto a outra professora. Então eu perguntei: "Pessoal, vocês se sentem ouvidos na escola?" Como resposta, tive um enfático NÃO. Essa não é a primeira vez que pergunto, mas sempre que ouço esse tipo de resposta fico bem reflexiva sobre minhas atitudes como profissional. Nesse post, eu mostrei como uso o Google Forms para coletar feedbacks dos meus alunos. Mas mais importante que coletar os feedbacks é decidir como agir sobre eles. E não se iluda, os alunos dão devolutivas sobre sua aula o tempo todo, mesmo que você nem peça!


Para ilustrar isso, hoje eu trouxe o exemplo de um grande amigo, o Professor Thomaz Albuquerque, de uma situação que ocorreu na primeira aula de sua carreira. Ele havia preparado uma dinâmica que teoricamente seria super empolgante para os alunos e toda a turma iria gostar de participar. E pra aula acontecer, os alunos deveriam sair de seus lugares e se posicionar em outros locais da sala. E o que aconteceu? Quase ZERO empolgação! Os alunos não queriam participar, não se engajavam e a frustração do professor foi surgindo e só aumentando. Ele não conseguia entender o que acontecia ali. Mas poderia escolher entre pelo menos dois caminhos:


1- Decidir nunca mais fazer uma dinâmica naquela turma, porque eles não se interessariam por nada.

2- Refletir sobre o ocorrido, aprender com a situação e encontrar uma atividade que tivesse mais a ver com a turma.


Felizmente, ele escolheu o segundo caminho! Percebendo que os alunos não se sentiam confortáveis em levantar dos seus lugares e andar pela sala, sugeriu que eles se sentassem no chão (inclusive ele). Teve participação de quase toda a turma, e mesmo os que não quiseram sair de seus lugares, participaram de alguma forma. Além disso, o professor pediu desculpas dizendo que pensou em uma dinâmica sem prestar atenção no que eles realmente gostariam de fazer. A partir daí, um relacionamento de confiança começou a surgir e continuou se fortalecendo ao longo do ano.


Eu gosto muito desse relato, porque ele me mostra o quanto é importante enxergar nossos alunos como pessoas que possuem voz e não como meros receptores de conhecimento. E para te ajudar a começar a ouvir mais e, assim, construir um relacionamento de confiança com as suas turmas, vou te dar uma dica que você pode colocar em prática AMANHÃ! Basta ter um caderninho.


Dica: caderninho do feedback


Separe um caderno (como esses pequenos de 48 folhas) que será utilizado exclusivamente para anotações de feedbacks. No início da aula, explique para seus alunos como seria importante para você saber a opinião deles sobre aquela aula e que, para isso, levou um caderno onde eles iriam escrever suas percepções daquele dia. Diga que eles não precisam se identificar se não quiserem e peça para que sejam sinceros, pois você irá usar os feedbacks para se tornar uma professora e uma pessoa melhor. Você pode adaptar essa prática da forma que preferir, pode usar um caderno para cada turma ou apenas um para todas as turmas, pode personalizar a capa, pode escolher outra palavra em vez de "feedback". Use sua criatividade, mas não se perca do essencial. Você deverá ler o que eles escreverem sem julgamentos, de peito aberto. E mais importante que isso, se perguntar: "o que eu posso fazer a partir de agora?"


Essa dica sensacional foi inspirada em outra professora e também grande amiga, a Priscila Gomes. Ela iniciou essa prática e como vi que deu super certo, não demorei para fazer com as minhas turmas também. Aí vão alguns exemplos de feedbacks recebidos por nós duas em nossos caderninhos:


"As aulas estão bem claras e explicativas, consegui pegar bastante do conteúdo"


"Uma das melhores professoras, conheço há pouco tempo e já gostei demais. É a melhor professora de física que já tive, conforme o tempo passou eu comecei a entender melhor"


"Eu acho que enquanto os alunos anotam a matéria é muito bom que a senhora fique andando pela sala, porque quem não tá fazendo nada começa a fazer e a prestar atenção."


"Você explica muito bem, e quando preciso entender melhor, a senhora dá muita atenção"


E nem só de pontos positivos vive uma professora! Dê uma olhada neste que recebi de uma aluna:


"A sra é uma ótima professora, mas precisa ser mais dinâmica nas explicações, porque tem hora que fica meio difícil de entender e dá sono kkk admiro a professora que a sra é"


Eu espero muito que o relato que trouxe hoje te faça refletir sobre o quanto do seu potencial de escuta você tem usado em sua prática e que a dica do caderninho seja muito útil e te ajude a melhorar como pessoa e como profissional! E aqui vai um agradecimento super especial ao Thomaz e à Pri que toparam colaborar com esse post <3 Vocês são incríveis!

14 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

whats t.png
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter