Ensino Médio no ensino remoto

Atualizado: Set 28

Sugestões para ajudar seus alunos a passarem pela pandemia

com menos ansiedade e maior aproveitamento na aprendizagem


Na série #EuEnsinodeCasa temos dado muitas sugestões e dicas para conduzir esse momento de ensino remoto com seus alunos. A maioria delas são direcionadas principalmente para o Ensino Fundamental, mesmo sendo possível adaptá-las para as demais etapas. Há algumas semanas, trouxemos um post específico para a Educação Infantil (confira aqui), há duas semanas falamos sobre evasão escolar, com foco no Ensino Médio (confira aqui), e hoje queremos aprofundar nossa análise sobre os alunos dos últimos anos da escola.


Essa etapa, muitas vezes chamada de “o gargalo da educação brasileira”, tem sido alvo de muitas das iniciativas e produções nacionais de incentivo educacional, como, por exemplo, o Guia de Implementação do Novo Ensino Médio e a BNCC comentada para o Ensino Médio. E isso não é sem justificativa: apenas 6 em cada 10 brasileiros de 19 anos terminam o ensino médio e, mesmo aqueles que concluem, têm consideráveis dificuldades em matemática e português. Confira aqui o vídeo do Movimento pela Base que explica melhor sobre essa situação e nos ajuda a entender as dificuldades enfrentadas por educadores e alunos dessa etapa da educação.


Pensando nessa situação, gostaríamos de oferecer aqui algumas dicas práticas sobre como os professores podem auxiliar seus alunos do Ensino Médio no ensino remoto.


1. Esse pode ser um período de muita ansiedade e estresse para os alunos, especialmente aqueles que estão concluindo o último ano. A pressão do vestibular somada às incertezas trazidas pela pandemia podem ter impactado consideravelmente os alunos. Há um tempo, comentamos sobre isso e é interessante retomar o tema do pensamento realista e otimista (confira o post aqui). Trabalhar as emoções e o bem-estar físico e mental dos estudantes é crucial a todo momento, mas hoje em dia sua importância foi acentuada.


Sendo assim, gostaríamos de sugerir que você estabeleça uma relação de proximidade com seus alunos. Antes de passar atividades e conteúdos, procure saber como estão e como têm lidado com toda essa situação. Você pode fazer uma ouvidoria por meio de formulários, fazer o acolhimento desses alunos no início de cada interação e, assim, estar mais próximo deles e oferecer o suporte adequado que precisam. Essa prática pode ajudar você a entender determinados comportamentos dos alunos e, assim, pensar em estratégias sobre como pode ajudá-los. Uma dica é também recomendar canais no Youtube e aplicativos gratuitos de meditação e exercício, como o Pri Leite Yoga e o aplicativo Nike Training Club.


2. Já sabemos que o ensino remoto não substitui completamente as aulas presenciais, mas existem algumas ferramentas muito interessantes que auxiliam nessa missão, especialmente quando falamos de alunos mais velhos e que tenham recursos tecnológicos para acompanhar.


Uma dessas ferramentas são os jogos, como o Kahoot e o Gartic. Confira aqui e aqui links para tutoriais para as duas plataformas, respectivamente. Apesar de não terem sido desenhados especificamente para trabalhar conteúdos, é possível facilmente adaptar seus recursos para ensinar temas e fazer revisões interativas.


Outra ideia é indicar e disponibilizar materiais para que seus alunos (inclusive aqueles com menos acesso) possam checar para se aprofundarem nos temas passados. Especialmente os livros cobrados em vestibulares ou materiais didáticos estão amplamente disponíveis de modo gratuito na internet, facilitando o envio do link ou do documento para que os alunos consigam utilizar. Lembre-se de checar se as fontes são confiáveis e dê preferência a nomes conhecidos para fazer essa busca. Uma sugestão é o acervo da Biblioteca Brasiliana, que você pode conferir aqui, e dos museus nacionais, como o MASP.


3. Trabalhe o Projeto de Vida de seus alunos. É muito comum que os estudantes sintam uma pressão exagerada nessa fase da vida e, mais do que direcioná-los nos estudos, é importante conscientizá-los sobre as muitas possibilidades existentes e que essa decisão não precisa definir quem a pessoa será para sempre. Mostre as possibilidades de ingresso em universidades públicas e privadas, em cursos técnicos e possibilidades de bolsas, especialmente para as instituições da sua cidade ou região.


Uma ideia é organizar uma lista com essas instituições e fazer cartões de conteúdo com as principais informações sobre elas (já falamos sobre eles aqui). Você pode inclusive inserir links que os alunos podem conferir caso tenham interesse em saber mais. É importante ter certeza de que todos têm as informações que necessitam para tomar esse tipo de decisão.


Provavelmente essa não é a maneira como seus alunos esperavam finalizar a passagem pela escola, mas é possível, sim, tornar esse período proveitoso e menos angustiante.


Você tem adotado alguma medida para ajudá-los nesse sentido? Que achou das sugestões apresentadas? Vamos adorar saber!

Referências:


NOGUEIRA, FERNANDA. "Pandemia aumenta desafios para implementação de novos currículos do ensino médio". Porvir. Disponível em https://porvir.org/pandemia-aumenta-desafios-para-implementacao-de-novos-curriculos-do-ensino-medio/

150 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

whats t.png
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter