Educação Infantil na BNCC

Atualizado: Mar 30

Como usá-la e quais materiais podem ajudar na implementação?


A partir desse post, iniciamos a explanação da BNCC para as etapas de ensino, começando pela Educação Infantil. Se você trabalha com essa faixa-etária de alunos, provavelmente encontrará aqui muitos materiais e informações úteis para o seu dia-a-dia. Caso você não trabalhe com crianças pequenas, ainda assim, recomendamos fortemente que continue lendo esse post, a fim de entender como o seu trabalho também se relaciona com o que educadores da Educação Infantil trabalharão com os alunos.


A BNCC retoma o princípio da importância da educação de crianças pequenas para o desenvolvimento dos indivíduos. É na primeira infância que são dados os primeiros passos rumo à construção dos valores e princípios que permanecerão com os indivíduos ao longo da vida. Isso se dá, principalmente, por meio das brincadeiras e das diferentes experiências proporcionadas.


No caso da Educação Infantil, o documento, em sua página 36, diz: “as creches e pré-escolas, ao acolher as vivências e os conhecimentos construídos pelas crianças no ambiente da família e no contexto de sua comunidade, e articulá-los em suas propostas pedagógicas, têm o objetivo de ampliar o universo de experiências, conhecimentos e habilidades dessas crianças, diversificando e consolidando novas aprendizagens, atuando de maneira complementar à educação familiar”.


Sendo assim, é reconhecida tanta a responsabilidade que cabe às escolas, quanto às famílias na educação de crianças dessa faixa-etária. Todos os envolvidos devem atuar simultaneamente fazendo uso e garantindo 6 direitos principais às crianças:


  • Conviver com pessoas diferentes e em contextos diferentes

  • Brincar de diversas formas, ampliando e diversificando seu conhecimento e modos de relacionamento

  • Participar das pequenas tomadas de decisão na interação em turma

  • Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, etc

  • Expressar suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões, questionamentos

  • Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural


A BNCC, nesse sentido, trata o currículo da educação infantil muito mais como uma organização, mediação e monitoramento do que um estabelecimento de conteúdos e rotinas fechadas. O objetivo aqui é priorizar uma educação leve e intencional que auxilie os alunos a se desenvolverem nas diversas áreas da vida. É importante lembrar, inclusive, que um processo de Educação Infantil feito com comprometimento garante uma transição mais tranquila para o Ensino Fundamental, onde esses direitos são ampliados e aplicados aos conteúdos trabalhados. Se o foco da Educação Infantil é a socialização e os aprendizados simples do cotidiano, o Fundamental e Médio têm um papel importante de continuidade e aprimoramento dessas competências.


Mas, como a BNCC consegue estabelecer essa organização sem se ater a conteúdos fechados? Para atingir esses objetivos, a Base distribui as habilidades a serem trabalhadas na Educação Infantil a partir de cinco campos de experiência, os quais estabelecem como as dez competências gerais serão trabalhadas na Educação Infantil. Essa categorização também compreende as diretrizes para promover o desenvolvimento de comportamentos, habilidades, conhecimentos e vivências, principal objetivo da aprendizagem nessa fase do ensino. Assim, temos os seguintes campos de experiência:


1. O eu, o outro e o nós (EO): foca em criar oportunidades de socialização, a fim de melhorar a percepção sobre si mesmas, o outro e o contexto em que vivem.


2. Corpo, gestos e movimentos (CG): o corpo está no centro desse campo, sendo trabalhado no sentido de desenvolver a independência da criança.


3. Traços, sons, cores e formas (TS): incentiva a produção, manifestação e apreciação artística, desenvolvendo sensibilidade e expressão.


4. Escuta, fala, pensamento e imaginação (EF): imersão na cultura escrita por meio de contação de histórias e outras atividades.


5. Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações (ET): promover experiências que propiciem fazer observações, manipular objetos, investigar e explorar, buscando respostas às suas curiosidades e indagações.


Além dessa divisão em campos, temos também a divisão por faixa-etária:


1. Bebês (zero a 1 ano e 6 meses): creche.


2. Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses): creche.


3. Crianças pequenas (4 anos a 5 anos e 11 meses): pré-escola.


Perceba que, ao trabalhar com esta etapa da educação, temos uma grande variação no desenvolvimento da criança em um intervalo de tempo relativamente curto, especialmente se comparado com o Ensino Fundamental e Médio. Sendo assim, a BNCC traz objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para cada uma dessas fases. Para organizá-los, temos códigos organizados da seguinte forma:



Entendida a organização dessa etapa, é importante agora entender como você pode aplicar esses conhecimentos na prática. Vamos às dicas!


1. Como não podia deixar de ser, queremos lembrar você do nosso acervo de pílulas de conteúdos! Ele também inclui a Educação Infantil e está organizado de acordo com cada campo de experiência, com cartões separados pelos códigos que já comentamos aqui no post. Você pode usá-los tanto como um incentivo ao aprendizado em casa, com as famílias, quanto como recurso para preparar sua interação com as crianças na própria escola.


2. Desenhar objetivos simples que possam servir de indicadores para que você ateste o cumprimento ou não de determinada habilidade. Nem sempre é fácil concluir se atingimos ou não o objetivo de determinada habilidade. Por isso, é importante contextualizar cada uma à realidade da sua sala.


Vejamos, por exemplo, as habilidades abaixo do campo de experiência “Traços, sons, cores e formas”:


(EI01TS01) - 0 a 1 ano e 6 meses: Explorar sons produzidos com o próprio corpo e com objetos do ambiente.

Prática: Fazer uma roda com as crianças, distribuir brinquedos musicais e envolver todas na interação por meio da música.