Educação física e saúde dos alunos em quarentena

Atualizado: 8 de Dez de 2020

Dicas do professor de Educação Física Ricardo Watanabe

A educação física não deve ser interpretada como uma simples atividade do cotidiano escolar, mas sim um componente curricular obrigatório da educação básica. Compreender a educação física como área de conhecimento permite que se dê um novo olhar aos conteúdos, recheados pelos saberes esportivos em vários temas que podem ser aplicados nas aulas.

Dessa forma, pensar nas práticas pedagógicas a serem desenvolvidas nas aulas de educação física escolar já não é uma tarefa fácil. Pensá-las em época de pandemia tornou-se um desafio ainda maior aos professores.

Com o isolamento social, as escolas municipais, estaduais, federais e privadas assumiram posturas distintas. Algumas iniciaram rapidamente as atividades remotas com os alunos enquanto outras suspenderam todas as atividades. Os professores de educação física têm se reinventado a cada dia para estimular a prática de atividade física nesse momento tão peculiar. As aulas têm acontecido por instruções escritas, vídeos explicativos, imagens, áudios e outras tecnologias disponíveis.

Tendo em vista o estresse causado pela pandemia, uma vez que os alunos estão passando muito mais tempo em casa, se mexendo e brincando menos, é essencial que os alunos mantenham uma rotina de práticas de exercícios. Esta rotina, no entanto, é muitas vezes negligenciada devido à falta de espaço físico, falta de material e dificuldade de engajamento dos familiares na realização das atividades propostas, entre outros.

Com o passar dos meses, professores desenvolveram estratégias que melhor se adaptam ao perfil de cada turma. Relacionamos a seguir as que mais se repetem e se mostram eficazes no processo ensino-aprendizagem:

1) Combine com outras turmas de realizar as aulas de educação física juntas, marcando uma reunião de forma que os alunos interajam socialmente uns com os outros mesmo que de maneira remota e evitando a evasão da atividade. Essas reuniões devem acontecer de maneira síncrona através da plataforma adotada pela escola para a transmissão das aulas.

2) Seja criativo! Entrar no universo lúdico dos alunos se mostrou essencial ao ministrar aulas para crianças do ensino fundamental mantendo a atenção e o foco das crianças. Uma professora da rede municipal realizou uma atividade recriando uma cena de um famoso jogo de celular onde seus alunos interpretavam os personagens e replicavam seus gestos como saltos, agachamentos, chutes e socos. A adesão da turma foi muito positiva.

3) Ao planejar atividades que necessitam de materiais, utilize objetos e utensílios de fácil acesso para famílias das mais variadas classes sociais, evitando assim a exclusão de alunos devido a ausência de material. Exemplos de tais materiais seriam vassouras, garrafas pet cheias de água, entre outros.

4) A educação física pode ser um excelente instrumento de aprendizagem interdisciplinar. Procure alinhar os conteúdos com os professores das demais disciplinas, gerando atividades que incentivem os alunos a utilizar o pensamento lógico e conhecimentos de matérias como matemática, história, geografia e língua portuguesa. Realize atividades com marcação de tempo e utilize os resultados obtidos para trabalhar conceitos matemáticos de acordo com o nível da turma. Faça jogos de perguntas e respostas com temas das outras matérias intercalando com provas físicas. Existem milhões de possibilidades quando se tem o engajamento do educador.

Toda aula deve ser um momento único de descoberta e, acima de tudo, deve ser prazerosa. Alunos que passaram o ano todo em frente aos seus notebooks e celulares podem estar desestimulados neste final de semestre. Procure variar as práticas, criando, assim, um ambiente de descontração e interação social. Vale lembrar que todas as estratégias necessitam da participação efetiva e envolvimento familiar para que sejam transformadoras a longo prazo.

As consequências do prolongado período de isolamento social na saúde física dos alunos ainda não foram mensuradas com exatidão. Contudo, estudos recentes indicam o aumento de sintomas relacionados ao sedentarismo, obesidade, síndrome metabólica precoce, ansiedade e distúrbios alimentares por exemplo.

Cabe ao educador físico o importante papel de preservar a integridade física e mental dos alunos, gerando conteúdos que agreguem valor na formação de cada um.

Agradecemos ao Ricardo por sua disponibilidade em compartilhar dicas tão importantes conosco!


Referências:

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus disease 2019. Disponível em: <https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019>. Acesso em: 29 mar. 2020a.

Nista-Piccolo, Vilma L. , Vazatta, Roberto, Silva, Yara Machado da. Educação física escolar em tempos de pandemia-realidade ou utopia. Artigo publicado em 16/07/2020. Jornal cruzeiro do Sul.


882 visualizações0 comentário