Como lidar com o mau comportamento dos alunos?

Atualizado: Jan 28

Apesar de difícil, esse não é um problema sem solução


Lidar com mau comportamento é um desafio que todo professor enfrenta. A dúvida é: como gerenciar a situação de forma a garantir que o professor consiga seguir com a aula, sem deixar de passar aos alunos que determinadas atitudes não são corretas e que não devem se repetir e sem "perder" o estudante que teve o mal comportamento?


Pouca coisa hein?! Será que dá para fazer isso?


De acordo com algumas pesquisas, os professores tendem a agir de três maneiras:


1. Modificação da situação: tentar mudar uma situação que está acontecendo para alterar seu impacto emocional. Isso seria, por exemplo, mudar a atividade quando o professor percebe que ela está causando muita gritaria, os alunos não estão colaborando, etc.


2. Desvio da atenção: é quando o professor tenta mudar o foco na sua atenção, pensando em coisas positivas ao longo da aula ou ignorando o mau comportamento dos alunos.


3. Supressão da emoção: ocorre quando o professor tenta modificar os aspectos psicológicos ou comportamentais da sua resposta emocional, fingindo ou mascarando uma emoção. Isso ocorre, por exemplo, quando o professor está com raiva/chateado com o aluno mas não quer demonstrar.


A primeira forma de ação pode funcionar muito bem para garantir a continuidade do aprendizado naquela aula em específico. Mas é necessário conversar com a turma e informar a eles o motivo da mudança. Além disso, é importante fazer com que eles reflitam sobre o que fizeram e como podem melhorar.


Um exemplo de situação seria a seguinte: vamos cancelar a gincana porque vocês não estão conseguindo trabalhar em equipe, não estão respeitando os colegas e estão gritando. Isso me deixa chateada e atrapalha o aprendizado. Não consigo ensinar o conteúdo assim, então iremos voltar para a sala de aula no modelo tradicional. Por que vocês estão agindo assim? O que podem fazer para que, em uma próxima atividade como essa, ela funcione?


O Desvio da atenção, por sua vez, não é positivo. Ele não vai possibilitar que o professor siga com a aula, logo os alunos não terão um ensino de qualidade. Além disso, é bem provável que o comportamento dos alunos não mude, desgastando o professor, desistimulando-o e inclusive podendo trazer percepções negativas pela gestão acerca do seu trabalho.


A última forma vai no mesmo sentido. Pesquisas mostram que suprimir as emoções é um dos principais fatores que podem desencadear o esgotamento (burnout) nos professores (leia mais sobre isso aqui). Além disso, ao não explicar aos alunos como está se sentindo e qual o impacto da ação que eles estão tendo para o seu próprio aprendizado, é pouco provável que o comportamento deles mude.


Pesquisas mostram que a melhor maneira é a estratégia conhecida como "Avaliação da Situação". Ela consiste em tentar compreender o porquê da má conduta do aluno e qual sua real relevância (realmente a ação terá um grande impacto no aprendizado? O aluno sempre tem esse tipo de comportamento ou é algo pontual?). Ao reavaliar a situação, tende-se a reduzir e diminuir a intensidade das emoções negativas, de maneira que a resposta do professor não seja tão ríspida.


Respondendo a nossa pergunta lá do início, dá sim para gerenciar a situação de forma a garantir que o professor consiga seguir com a aula, sem deixar de passar aos alunos que determinadas atitudes não são corretas e que não devem se repetir e sem "perder" o estudante que teve o mau comportamento. O segredo está em:


1. Conseguir regular sua emoção através da avaliação da situação, mas sem deixar de demonstrá-la.


2. Modificar a situação que não está funcionando, mas explicando aos alunos o motivo da mudança, porquê o comportamento deles não é adequado e quais podem ser as consequências.


Não é simples, mas também não é impossível. Para ter esse resultado, é necessário um trabalho diário de empatia, reflexão, autoconhecimento e busca por uma comunicação não violenta. Você tem tentado trabalhar esses aspectos? Conta pra gente sobre como tem lidado com o mau comportamento na sua sala de aula!

Você sabia que a BNCC também trabalha a questão da indisciplina? As competências gerais que ela estabelece são fundamentais nessa resolução!


Pensando nos desafios da sua implementação, seja no ensino remoto, híbrido ou presencial, disponibilizamos de modo gratuito um acervo de pílulas de conteúdo prontas para serem usadas em sua prática diária :)


Veja alguns exemplos de temas desenvolvidos:


Não fique de fora e aproveite!

Referências:


Mei-Lin Chang & Jamie Taxer (2020): Teacher emotion regulation strategies in response to classroom misbehavior, Teachers and Teaching, DOI:10.1080/13540602.2020.1740198

83 visualizações0 comentário

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

whatsapp
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter