A importância dos alunos elaborarem perguntas complexas

Dicas práticas para incentivar os alunos a questionarem mais


Você já parou para se perguntar sobre o nível de complexidade das perguntas dos seus alunos? Estruturar perguntas mais elaboradas requer diversas habilidades: capacidade de articular ideias, facilidade de comunicação, curiosidade, e de certa forma, extroversão ou confiança. É comum existir na sala de aula aquele aluno que assume o papel do questionador. Aquele que pergunta diversas coisas sobre o assunto trabalhado, e que o professor acha interessante e estimulante, mas tem vezes que não queria que ele estivesse perguntando (porque vai atrasar o conteúdo e porque você pode não saber a resposta). Os outros alunos, por sua vez, podem admirá-lo ou se incomodarem como ele - "Para que tantas perguntas? De novo?". Mas por mais que dê um friozinho na barriga de vez enquanto, estimular todos os alunos da sala a elaborarem perguntas mais complexas é muito importante, pois desenvolve diversas habilidades. Para isso, a primeira coisa que o professor deve fazer é: aceitar que não sabe tudo. Nenhum professor é o Google, mesmo aqueles com anos de experiência. Os alunos podem pegá-lo desprevenido. E o que você deve fazer? Assumir o desconhecimento! "Nossa que pergunta interessante. Não sei respondê-la, vou pesquisar e trago na próxima aula". Você também pode passar a pergunta para a sala, e poderá se admirar ao ver que um dos alunos talvez saiba responder. Depois de se desfazer desse medo, existem algumas dicas de como incentivar os alunos a questionarem mais:

  1. Estimular a curiosidade dos alunos: uma sugestão é começar a aula com uma pergunta sobre o tema. Em uma aula sobre placas tectônicas, por exemplo, o professor pode perguntar no início: "Por que será que no Brasil não tem terremotos?". Isso não só os instigará a prestar atenção, como pode originar outros questionamentos: "Então na Bolívia também não tem? Nunca teremos um terremoto no Brasil?" etc. Algumas técnicas para trabalhar isso podem ser encontradas aqui.

  2. Estimular a escuta ativa: a escuta ativa se baseia em ouvir atentamente o outro, sem tentar interrompê-lo ou sem estar processando mentalmente a sua resposta. Uma sugestão é realizar atividades em grupos ou duplas, na qual um deve expor sua opinião ou seu raciocínio a respeito de um tema, e o outro deve apenas escutar e depois resumi-la. Você pode ler mais sobre isso aqui.

  3. Garantir conhecimento sobre o assunto: muitas vezes, fazer perguntas complexas também depende do conhecimento para além da sala de aula que o aluno tem. Uma forma de o professor garantir isso é estimulando pesquisas sobre o tema, além de relacionar o conteúdo com a realidade dos alunos. A técnica 13 da nossa Trilha Formativa trata disso.

  4. Reforçar positivamente os alunos que fazem questionamentos: os alunos muitas vezes têm vergonha de perguntar, por acharem que seus pensamentos são bobos, não cabem no contexto. O reforço positivo serve, portanto, como um incentivo para continuarem com a prática. A técnica 5 da nossa Trilha Formativa trata disso.

  5. Criar de um ambiente acolhedor: seguindo a lógica do item 4, é importante que o ambiente seja acolhedor para que o aluno se sinta confortável para expor suas opiniões e dúvidas. Dessa forma, não apenas o professor, mas os outros alunos, devem se mostrar receptivos uns aos outros. Nesse momento, é importante o professor reforçar para a turma que toda a dúvida e pergunta é válida. É possível ter altas expectativas e ser acolhedor ao mesmo tempo! A técnica 8 da nossa Trilha Formativa trata disso.

Através dessas dicas, espera-se que os alunos consigam se expressar, elaborar perguntas complexas e incentivar os outros a fazerem o mesmo. Para isso, o professor deve investir em atividades que demandem que os alunos exponham suas opiniões, escutem e interajam. Uma vez acostumados com o processo de questionar, a proposta é avançar ainda mais. Que tal promover debates na turma sobre os assuntos do conteúdo? Ou deixá-los decidirem sobre algumas questões da aula? Ao incentivar a exposição de pensamentos e questionamentos, permite-se que os alunos aprendam a se comunicar de forma efetiva ao apresentar seu ponto de vista e refletir acerca do ponto de vista do outro, algo que é essencial em diversos aspectos das nossas vidas. Depois de tudo isso, nem precisamos falar que, se os alunos estiverem em um debate produtivo sobre o tema da aula, expondo suas opiniões, tudo bem atrasar um pouquinho o conteúdo, né? Pois, sem dúvidas, estimular o questionamento também é uma forma de aprendizado.

Referências:

Tennessee Department of Education. Incorporating Social and Emotional Learning into Classroom Instruction and Educator Effectiveness: A Toolkit for Tennessee Teachers and Administrator. June, 2015.

13 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter