5 dicas para desenvolver sua "presença à distância"

Orientações baseadas em pesquisa para ajudar você a se manter presente, mesmo em aulas remotas


À medida que a distância física aumenta entre você e seus alunos, o mesmo pode acontecer nos âmbitos psicológicos e emocionais. Na década de 1960, bem antes de se imaginar ser possível ter o ensino online, Michael G. Moore, um economista, ponderou como ele poderia ajudar fazendeiros rurais no Leste Africano a desenvolverem habilidades de gestão de negócios. Ele considerou que aulas presenciais poderiam ajudá-los a aprender sobre técnicas de agricultura moderna ou de como estabelecer uma união de crédito baseada na comunidade.


No entanto, existia um obstáculo: os fazendeiros que ele gostaria de alcançar para ensinar viviam em vilarejos remotos, com rodovias de acesso muito precárias e sem telefone. A ideia, portanto, não era escalável. Com isso, Moore desenvolveu uma solução inovadora: percebendo que o rádio era relativamente barato e difundido, ele desenvolveu cursos que poderiam ser transmitidos pela rádio local. Ele rapidamente percebeu, contudo, que isso não era a mesma coisa que dar aula presencialmente. Ele não poderia conversar informalmente com os fazendeiros, responder suas perguntas ou andar pela fazenda com eles pensando em maneiras de aumentar a produtividade. O ensino à distância, ao menos inicialmente, pareceu menos pessoal e menos efetiva para Moore, tanto que ele dedicou sua carreira a descobrir como ele poderia torná-la mais humana.


“Em todas as formas de ensino à distância, a habilidade de humanizar o relacionamento com estudantes à distância é importante”, afirma Moore no livro Distance Education: A Systems View of Online Learning (em português: “Educação à Distância: uma Visão Sistêmica de Ver o Ensino Online). Enquanto professores não acostumados ao ensino online podem focar em passar conteúdos, que é naturalmente o primeiro passo no momento imediato em que todos foram pegos de surpresa por uma pandemia, é também importante se familiarizar com as ferramentas tecnológicas disponíveis para que você possa se conectar com seus alunos, construir confiança e organizar sua sala de aula virtual, entendendo que a tecnologia deve ser usada para atender finalidades centradas nas necessidades humanas.


Fazendo isso, um ponto de sua sala de aula remota será melhorado: sua presença. “Com a separação física existe um espaço psicológico e de comunicação a ser atravessado”, escreve Moore em um ensaio em 1997. Para reduzir esse espaço, é preciso mais do que um jeito específico de falar. Na verdade, algumas das mudanças na sua abordagem podem ser inesperadas. Vamos ver quais são as dicas?


1. Vá além da fala

A mudança repentina para o ensino remoto trouxe a necessidade de estabelecer conexões fortes com os alunos. É difícil fazer isso em um ambiente virtual. Em uma sala física, professores podem contar com métodos não-verbais de comunicação, como expressões faciais, tom de voz, que ajudam no processo de aprendizagem.


De acordo com Kathleen Sheridan e Melissa Kelly, pesquisadoras na Universidade National Louis em Chicago, em ambientes virtuais os alunos percebem a presença em sala de aula de maneira mais ampla. Em um estudo sobre aulas online, elas descobriram que os estudantes veem a presença dos educadores sob as lentes de todas as interações que tiveram com eles, sejam e-mails, atividades, sinais no plano de fundo da tela, e a maneira como o ambiente está organizado. As ferramentas digitais que você usa se tornam extensões da sua prática, em outras palavras, diminuindo as divisões entre sua persona presencial e virtual.


“Embora os alunos geralmente valorizem a comunicação e a capacidade de resposta do instrutor, eles não dão tanta importância à comunicação síncrona ou face a face”, escrevem Sheridan e Kelly, acrescentando que “ser capaz de ver ou ouvir o instrutor teve classificações surpreendentemente baixas em relação a alguns dos outros indicadores do estudo. ”


Não é a sua presença em tempo real que importa tanto no mundo do aprendizado online. Portanto, ao ensinar remotamente, você deve tentar se concentrar em aulas e comunicações assíncronas: Você estabeleceu canais e regras claras de comunicação online com seus alunos? Você considerou uma "linha direta" - uma maneira rápida de entrar em contato com você se houver uma pergunta crucial? Você está respondendo aos alunos razoavelmente rápido quando eles têm dúvidas?


2. É mais do que apenas uma ligação


Sua presença como professor não começa na sala de aula - começa muito antes, quando você planeja o fluxo e a sequência de suas aulas para uma próxima aula. “O que sabemos da pesquisa é que o aprendizado online eficaz resulta de um planejamento e design instrucional cuidadosos”, Charles Hodges, professor de tecnologia instrucional na Georgia Southern University, e seus colegas afirmam.


“Lutar para encontrar arquivos, links ou guias do navegador pode aumentar seu nível de estresse, o que os alunos sentirão e espelharão. Feche todos os programas que não usará e imprima sua agenda para não precisar procurá-la freneticamente na tela ”, recomenda Annie O'Shaughnessy, professora de uma faculdade comunitária em Vermont.


Antes de chegar à sala de aula, pratique avançar ao longo de uma lição até se sentir mais familiarizado com a logística de alternar entre as janelas, por exemplo, ou alterar as configurações de suas ferramentas rapidamente conforme as circunstâncias exigirem. Você não será perfeito e não deveria esperar ser, mas ficará mais confiante.


3. Sinal de presença por meio de clareza e organização


Em uma análise de 2015 de quase 50 estudos sobre clareza de professores, os pesquisadores descobriram que “níveis mais altos de clareza estão associados a níveis mais altos de aprendizagem dos alunos”. A clareza não se limitou a uma explicação clara das ideias: os pesquisadores distinguem entre clareza do conteúdo - "Meu professor é claro ao apresentar o conteúdo" - e clareza do processo - "Meu professor comunica expectativas claras para a tarefa."


A comunicação, no entanto, tem mais probabilidade de falhar no ensino à distância, especialmente à medida que as salas de aula se tornam cada vez mais assíncronas e são mediadas por um sistema de gerenciamento de aprendizagem, documentos online, e-mail e outras formas digitais de comunicação.


É fácil esquecer que as salas de aula online, como as reais, também devem ser navegáveis ​​e fáceis de entender - e que sua presença no ensino online é muitas vezes comunicada não pela postura e tom, mas pela organização e clareza da sua sala de aula virtual. Ter uma forte presença de ensino online pode significar, por exemplo, que você gasta tempo configurando seu sistema de aprendizagem para que haja um local central onde os recursos são reunidos - e assim os alunos não se perderão com tanta frequência - ou que você os conduza por tarefas comuns, por exemplo explicando como e onde enviar tarefas, onde fazer perguntas e como usar o pacote de ferramentas de tecnologia que você escolheu.


4. Receba devolutivas dos alunos e responda a elas


Sua presença de ensino online não chegará totalmente pronta - será um trabalho em andamento. Em um estudo de 2019, os pesquisadores descobriram que instrutores online bem-sucedidos frequentemente coletavam devolutivas dos alunos "para identificar o que estava funcionando ou não".


“Um elemento importante no desenvolvimento de um curso premiado foi a maneira como os instrutores coletaram dados sobre o curso ou se envolveram com os dados de avaliação existentes, refletiram sobre como melhorar o curso e fizeram melhorias”, explicam os autores do estudo.


Se você deseja melhorar sua presença de ensino online, deve comunicar aos alunos que as opiniões deles são importantes. Depois de pesquisar a literatura, aqui estão seis perguntas que recomendamos que você faça a seus alunos:


  • Em uma escala de 1 a 5, você se sente confortável usando a tecnologia em nossa sala de aula virtual?

  • Você encontrou algum problema técnico, como não conseguir me ouvir ou não conseguir se conectar à Internet?

  • Minhas aulas estão bem organizadas e as tarefas passadas são claras?

  • Você consegue encontrar facilmente o que precisa? ⁣

  • Você sente que sua voz é ouvida?

  • O que posso fazer para melhorar nossa sala de aula online?


5. Foque na construção e no fortalecimento de relacionamentos


“Para compensar os efeitos isolantes de uma aula online, os professores podem se esforçar para se comunicar de forma mais regular e mais informal com os alunos”, escreve Jason Dockter, professor de inglês do Lincoln Land Community College, em um estudo de 2016. O ponto aqui não é a capacidade de resposta a uma questão acadêmica, mas a necessidade de demonstrar às crianças “que o professor está pessoalmente interessado em cada aluno”.


Existem dezenas de maneiras de criar um senso de conexão humana em sua sala de aula online. John Thomas, um professor do ensino fundamental em New Hampshire, começa todos os dias com uma reunião matinal informal. Embora isso possa ser feito de forma síncrona - com todos os alunos participando ao mesmo tempo - Thomas usa um aplicativo para gravar e compartilhar um vídeo de saudação ao qual os alunos possam responder em seu próprio tempo.


“Todos os dias na sala de aula, notamos pequenos detalhes conforme nossos alunos entram - mantemos um dedo no pulso de nossa comunidade de aprendizagem”, explica Thomas. “Mas, a quilômetros de distância, não é fácil saber como os alunos estão realmente se saindo.”


Estratégias simples, mas eficazes - como cumprimentar os alunos na porta, fazer um check-in, ou pedir aos alunos que compartilhem um reconhecimento, um pedido de desculpas ou uma novidade! - podem fazer a diferença entre os alunos se sentirem alienados ou bem-vindos em sua sala de aula virtual (e presencial também!).


Acima de tudo, a presença do professor significa conectar-se com seus alunos: se eles o conhecem, é muito mais provável que confiem em você e sintam que você está do lado deles. Para Sarah Schroeder, professora da Universidade de Cincinnati, é importante que os professores lembrem que, durante a pandemia, alguns alunos podem ter dificuldades acadêmicas e emocionais.


“Uma preocupação comum é sentir-se desconectado do aprendizado online. Não queremos que os alunos sintam que estão interagindo com um computador. Eles estão se envolvendo. Contigo. Com o conteúdo.”, escreve Schroeder.


E você, como tem desenvolvido sua presença nesse momento de aulas remotas?

Referências:


TERADA, Youki. “5 Research-Backed Tips to Improve Your Online Teaching Presence”. Edutopia. Disponível em

https://www.edutopia.org/article/5-research-backed-tips-improve-your-online-teaching-presence



223 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter

Eu Ensino - Laura Marsiaj Ribeiro Desenvolvimento Profissional LTDA - CNPJ: 35.608.770-0001/04

Política de entrega: acesso ao curso comprado em até 2 dias úteis (envio de informações de acesso para o email cadastrado)