4 formas de trabalhar o socioemocional em professores e alunos

Dicas simples para transformar as habilidades socioemocionais no seu dia a dia


O tema de habilidades socioemocionais não é novo aqui na Eu Ensino. Já falamos em outros posts sobre a importância dessas competências para o desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos e da necessidade de trabalhá-las em sala, para que aprendam essas habilidades.

Também fizemos um post com algumas dicas de como desenvolvê-las nos professores - Porque primeiro temos que saber aplicar em nós mesmos para poder passar adiante, como também porque o nível de habilidade socioemocional dos professores impacta diretamente no rendimento acadêmico e desenvolvimento emocional do aluno.

Retomamos hoje o assunto, para detalhar a técnica RULER, que já foi citada no texto "Competências socioemocionais ajudam na disciplina?", porém através de outras ferramentas que englobam tanto o professor quanto o aluno. Para quem não se lembra, essa técnica é dividida em 5 passos:

  • Reconhecer que está experienciando uma emoção - normalmente através de pistas não verbais (expressão facial, a postura, o tom de voz, o gesto)

  • Compreender - estar ciente das causas e consequências das emoções

  • Nomear a emoção

  • Expressar - seja de forma verbal ou não verbal, de maneira adequada ao momento

  • Regular - ser capaz de administrar de forma efetiva a emoção.

Com o intuito de alcançá-los, sugerimos aqui 4 práticas para serem implementadas em sala:


1. Cartaz do sentimento: Consiste na elaboração de um documento que deve estar visível para todos, em que alunos e professor devem escrever como gostariam de se sentir em sala, o que devem fazer para que isso aconteça e como prevenir e lidar com desafios que possam surgir. Algumas sugestões de perguntas norteadoras são:

  • Como alunos/sala/professor, queremos nos sentir..

  • Para nos sentirmos assim, precisamos..

  • Nós iremos administrar e prevenir conflitos que impeçam esses sentimentos através..

Uma sugestão bem interessante com crianças é a elaboração de desenhos, como o abaixo. Seu título é: "O Caminho para o Sucesso". Os pilares da ponte são como os alunos gostariam de se sentir, as hastes são o que devem fazer para possibilitar isso e no mar estão os obstáculos que podem impedi-los de alcançar seus objetivos. Já para os alunos mais velhos, isso pode ser elaborado através de "combinados" feitos no início do ano/semestre/ano, conforme a técnica 2 da nossa trilha formativa.


2. Medidor de Emoções: Nele, os alunos devem preencher suas emoções em uma tabela, que varia verticalmente entre os níveis de "energia" da emoção e na horizontal entre a sensação positiva/negativa dela. Essa atividade funciona melhor para alunos pequenos, que podem por exemplo, dizer como estão se sentindo todos os dias.

Para os alunos mais velhos, por exemplo, essa atividade pode ser adaptada para um momento de reflexão. Antes de começar a aula você pode solicitar que os alunos tirem 1 minuto para refletir sobre como estão se sentindo, e, em seguida, aplicar a prática a seguir, a "Escada das Emoções". Dessa forma, talvez a maneira como ele irá agir durante a aula poderá ser mais positiva.


3. Escada das emoções: Consiste no aluno parar para refletir sobre 5 pontos sempre que ocorre algo inesperado, que pode atuar como um gatilho para emoções mais intensas e resultar em ações não desejadas. Os pontos são:

  • O que está se passando?

  • O que eu penso sobre isso?

  • O que eu sinto?

  • O que eu faço?

  • Qual o resultado?

A proposta é que a pessoa pense nesses 5 pontos antes de agir, e retorne ao inicial, recomeçando, caso o resultado não seja algo que deseje. Dessa forma, ele consegue regular como lida e expressa as emoções.


4. Revisor de resultados: Essa prática deve ser aplicada quando uma coisa não saiu da maneira como o aluno/professor desejavam, normalmente aplicada para resolução de conflitos. Ela consiste em rever a situação para impedir que se repita no futuro e pensar em como lidar com ela no presente.


Essas práticas podem ser adaptadas para se encaixar com diferentes faixas etárias, e possibilitam que alunos e professor trabalhem suas competências socioemocionais em sala.


Em relação ao professor, por sua vez, é muito importante que ele aplique essas técnicas por conta própria. Elas podem ser feitas em diferentes momentos:

  • Em casa após um dia estressante em que você tomou uma atitude não desejada em sala, que tal refletir como lidar com ela, e como poderia agir da próxima vez através do "Revisor dos Resultados"?

  • Antes de ir para a aula, ao acordar, que tal pensar como está se sentindo, e aplicar o Medidor e a Escada das Emoções?

Esperamos que essas dicas auxiliem no dia a dia em sala de aula, trazendo resultados positivos para alunos e professores. Se aplicar alguma delas, não deixe de contar pra gente!

Referências:


Using Ruler at Home. Thurgood Marshall Elementary School. Disponível em:<https://marshalles.seattleschools.org/services/ruler/using_r_u_l_e_r_at_home>

Ruth Castillo, Ruth; Fernández-Berrocal, Pablo; Brackett, Marc A. Enhancing Teacher Effectiveness in Spain: A Pilot Study of The RULER Approach to Social and Emotional Learning. RedFame Publisher. Journal of Education and Training Studies Vol. 1, No. 2; October 2013. Disponível em: < https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1054847.pdf>.


145 visualizações

EU ENSINO

Conectando experiências, desenvolvendo líderes.

  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter